Rafa diz que se fosse em uma escola Babu seria professor e Marcela debocha “o dono da cantina!” Vídeo.

0

A algumas semanas atrás a grande favorita para ganhar o programa do BBB era Marcela, por toda sua atitude diante do jogo, e também por seus discursos sempre muito bem colocados nos momentos exatos e sempre com muita sensatez.

Mas a sua popularidade só vem caindo com o tempo, principalmente após a chegada de Daniel, que trouxe informações da casa de vidro de que ela seria uma das favoritas a levar a bolada.

Após diversas polêmicas e perda de mais de 500 mil seguidores no Instagram, passando de 4.1 milhões para 3.6 milhões (e vem perdendo mais a cada dia), a equipe de Marcela McGowan, participante do BBB 20, usou o Instagram oficial dela para divulgar uma nota onde defendem a sister dos ataques que ela vem recebendo, por conta de atitudes que ela tem tomado dentro do confinamento.


Depois de falar que o Babu merecia estar na xepa e dizer que se ele só seria chamado pro VIP caso fosse para limpar a cozinha, Marcela soltou mais um comentário que foi visto pela galera como preconceituoso contra o participante do programa enquanto conversavam na cozinha, os brother perguntaram qual seria a função de cada participante na casa caso eles estivessem em uma escola.

Rafa disse que babu seria um professor, e Marcela achou que ele seria mais “o dono da cantina” e depois fica meio sem graça por ter dito isso e tanta se explicar dizendo que é por tantas reclamações que ele faz com a galera da casa ( ? ? ? )

Assista ao vídeo completo


Sua família até emitiu uma nota se desculpando pelas palavras da filha durante o programa, confira

“Nós, da equipe da Marcela – família e amigos, estamos aqui para dividir a nossa leitura, pois conhecemos a Marcela na sua essência.? Acompanhamos de perto todas as suas batalhas internas e sabemos o quão difícil seria para ela se ver acusada, julgada e condenada”, começou o texto.

Em seguida, o texto fala sobre a dificuldade em questionar julgamentos dentro do reality. “Na vida como um todo, as pessoas vão acertar e errar, vão se arrepender e começar de novo. A diferença é que no confinamento essa jornada de aprendizados acontece na velocidade da luz e com milhões assistindo e julgando”.

“É importante reforçar que o processo de desconstrução da Marcela está longe de acabar e por isso ela é passível de erros. ?Da mesma forma que Marcela não tem medo de ser posicionar sobre o que pensa, ela não tem medo de se questionar, se revisitar e muito menos de aprender e pedir desculpas”, afirmou a nota na sequência, acrescentando: “Sabemos que essa experiência só vai fortalecer e ajudar a Marcela a evoluir como pessoa.? Estamos com você, Marcela!?”, finalizou.