Thelma diz não querer amizade com Marcela e Gizelly fora da casa: “Fica o respeito!”

0

Depois de um grande período de confinamento, a grande campeã Thelma Assis com certeza deve estar revendo toda sua participação dentro do programa, e sua trajetória que construiu lá dentro.

Em uma entrevista dada a Folha de São Paulo, a ex Big Brother afirmou que manterá contato com várias pessoas dentro do programa, mas deixou sub-entendido que não faz questão nenhuma de concretizar uma amizade com Gizelly e nem com Marcela, que foram pessoas que ela considerou muito dentro da casa, inclusive colocou que queria estar com as duas na final, mesmo Marcela tendo a trocado por Daniel.

“Tomaria uma cerveja com o Babu agora! Vou levar pra vida a relação com Manu, Rafa e Gabi também. Com os demais, fica só o respeito. Já tenho amigos o suficiente aqui fora” contou.

Antes de dar essa entrevista para Folha, Thelma já tinha dito que ficou bastante chateada com as atitudes de Marcela dentro do programa, principalmente por ter se sentido trocada por Daniel, logo assim que eles começaram a ficar juntos

“Falei que não tinha [ficado chateada] porque era aquele momento que a sua amiga tá apaixonada, ela tem o direito de ficar apaixonada. Quem sou eu pra julgar? Tanto que eu mantive meu pódio. Só que a vontade era falar: ‘Amiga, você levantou uma bandeira feminista o programa inteiro e aí me troca pelo primeiro boy que aparece?’”

Ela contou que em um primeiro momento foi um choque, e ela só foi processar e entender mesmo tudo o que estava acontecendo bem depois, confira uma parte da entrevista abaixo

Marcela, por sua vez, não ficou quieta diante das acusações e depois de ser questionada pelo público sobre o que ela pensava disso tudo, ela resolveu publicar uma série de tweets se explicando e contando a sua versão dos fatos

“Gente o que tiver que ser conversado, será em algum momento. Eu tenho muita consciência de tudo que aconteceu, erros e acertos e eu sei muito bem do meu coração e das coisas que eu acredito. Apenas acho importante falar uma coisa : feminismo é sobre libertar as mulheres do patriarcado. É uma luta coletiva, não individual. Eu vivo meu feminismo quando eu luto para que as mulheres tenham autonomia no parto, eu vivo meu feminismo quando luto pelo atendimento humanizado de pacientes vítimas de abuso sexual ,eu vivo meu feminismo quando eu incentivo”