‘50% do pulmão estava tomado’, disse Mumuzinho, que achou que fosse morrer de Covid-19

0

100% recuperado do coronavírus, Mumuzinho esteve no “Conversa com Bial” desta madrugada, na Rede Globo, para falar da luta que travou contra a doença. Segundo ele, logo que soube que estava infectado, achou que fosse morrer.

“Quando entrei no hospital e o médico falou que eu estava com Covid-19 e 50% do meu pulmão estava tomado, nesse momento tomei um susto e achei que fosse morrer, porque você não espera receber uma notícia dessa. Nesse momento a gente fica mais fraco”, relembrou o pagodeiro.

Mumuzinho ficou seis dias internado no Hospital Vitória, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, e chegou a ter alguns dos sintomas mais graves da doença, como febre e uma pneumonia de grau intermediário.

O cantor, assim como os pacientes internados com Covid-19, ficou isolado e recordou o momento difícil: “Essa é a outra parte da doença que é muito triste. Fiquei sozinho literalmente, sem contato com ninguém, a não ser com as enfermeiras que estavam de luva e proteção”. Ele continuou: “Refleti muitas coisas sobre a minha vida e ficava inventando coisas na minha cabeça para me dar forças para sair dali”.

O que lhe ajudou também a vencer o coronavírus, foi um mantra que leva consigo. “Eu sempre busquei essa frase: ‘Eu vou conseguir. Sou negro, sou preto, sou pobre, mas eu vou conseguir. Esse é o meu mantra: ‘Eu quero, eu posso, eu vou na fé e sem desistir’. Assim eu usei essa frase para sair da doença”, revelou.

Política

Em outro momento da conversa, Mumuzinho mostrou descontentamento com o atual governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e fez um desabafo a Pedro Bial.

“Esses políticos que estão no poder, eles estão brincando de mandar. [É preciso] fazer o trabalho de gestor legal mesmo, de trabalhar com união e humildade, de ouvir o outro lado e não ser desse jeito de ‘Eu quero que seja isso. Vai ser isso’. O país não é de uma pessoa só, o país é nosso.”, finalizou.

O “Conversa com o Bial” vai ao ar de segunda à sexta-feira após o Jornal da Globo.