Record acusa homem assassinado sem provas; filha chama emissora de “irresponsável”. Vídeo!

0

A cobertura de um assassinato pelo Cidade Alerta, nesta terça-feira (9), revoltou a família da vítima. Familiares chegaram a avançar contra a repórter Luiza Zanchetta e o cinegrafista José Filho porque o programa acusou o rapaz morto de ser agiota.

“Eles estão aqui um tanto revoltados porque nós temos a informação de que ele emprestava dinheiro a juros. Por favor, não precisa de agressão”, disse a jornalista até ser interrompida por um jovem.

“Você está falando merda, está falando coisa que não deve”, acrescentou o rapaz. Zanchetta se defendeu: “Ninguém está ofendendo ninguém, você está impedindo nosso trabalho”.

A reportagem afirmou que tinha conversado com vizinhos, que disseram que a vítima era agiota. A polícia, entretanto, não confirmou a informação.

Amanda, que tinha acabado de perder o pai, também criticou a Record e classificou a cobertura como irresponsável.

“Eu perdi o meu pai hoje e não estou vendo um pingo de respeito, vocês falando que ele é agiota. De onde tiraram isso? Não tem um pingo de consideração”, disse a menina, chorando muito.

“Meu pai tinha casa de aluguel… e o nome dele é Josivaldo!”, explicou Amanda, após a repórter errar o nome da vítima. “Eu não sei o nome desses vizinhos. Vocês não podem afirmar uma coisa.”

Após a confusão, o primeiro rapaz, que avançou contra a equipe, pediu desculpas e exigiu que Bacci também se retratasse. O apresentador chegou a falar que a emissora iria apresentar um Boletim de Ocorrência contra ele.

Porém, depois de conversar com a irmã do jovem, Bacci colocou panos quentes.

“Eu peço desculpa pela abordagem como agiota, ele será tratado como suspeito. Mas se fosse outro repórter mais esquentado, ia levar para a polícia. E como ele reconheceu o erro, parece ser um cara gente boa”, disse o apresentador.