Fundador da Ricardo Eletro e filha são presos em operação contra sonegação. Entenda!

0

O empresário Ricardo Nunes, dono da Ricardo Eletro, e a filha dele foram presos na manhã desta quarta-feira (8). Ricardo Nunes foi preso no estado de São Paulo. Já Laura Nunes foi presa na região da Grande Belo Horizonte. O motivo da prisão foi uma operação contra sonegação fiscal movida pela Receita Federal e pelo Ministério Público de Minas Gerais. O irmão de Nunes foi alvo de buscas na operação.

Ricardo Nunes e filha são presos em operação contra sonegação na ...
Ricardo Nunes e filha são presos em operação contra sonegação de impostos (Foto: Divulgação)

De acordo com as investigações, a rede de varejo incluía o preço do ICMS nos valores dos produtos, mas não repassava ao governo.  Segundo informações da Receita, cerca de R$ 400 milhões de reais foram sonegados ao longo de cinco anos.

A força-tarefa composta pelos três órgãos mineiros cumpre três mandados de prisão e mais 14 de busca e apreensão. A Polícia Civil foi às ruas das cidades mineiras de Belo Horizonte, Contagem e Nova Lima, além de cumprir mandados também em São Paulo e Santo André no estado paulista.

Empresário Ricardo Nunes é investigado por sonegar pagamento do ICMS - Pedro Silveira/Folhapress

Ricardo Nunes teve determinado pela Justiça o sequestro de bens e imóveis seus avaliados em cerca de R$ 60 milhões. Isso porque há indícios de que o patrimônio, registrado no nome de suas filhas, mãe e um irmão, cresceu justamente no período da sonegação de impostos. A decisão judicial tem como objetivo ressarcir o dano causado ao estado mineiro.

Segundo o MP-MG, lojas da rede Ricardo Eletro cobravam dos consumidores impostos embutidos nos preços dos produtos, como o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviço), e depois empresários investigados no esquema embolsavam essa quantia.

A investigação que levou à prisão de Nunes ganhou força no ano passado com uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal). Em novembro, a Corte definiu como crime a apropriação do ICMS.

O Ministério Público mineiro chegou à conclusão de que Nunes cometeu o crime de lavagem de dinheiro porque o seu patrimônio teve um crescimento vertiginoso justamente à época da sonegação. De acordo com o órgão, o empresário possui de dezenas de imóveis, participações em shoppings na região metropolitana de Belo Horizonte e fazendas.

Desde o ano passado, a Ricardo Eletro encontra-se em recuperação judicial, oficialmente sem condições de arcar com suas dívidas, que somavam cerca de R$ 3 bilhões. A rede já fechou várias lojas no país e chegou a encerrar sua operação no Mato Grosso.