‘O que eles estão passando e sofrendo, está muito perigoso’, diz amigo de casal que discutiu com fiscal

0

Um amigo do casal que ganhou fama após discutir com o superintendente da Vigilância Sanitária durante uma fiscalização em bares e restaurantes da Barra a Tijuca, na Zona Oeste do Rio, disse que o caso ganhou uma proporção inesperada e que os dois vêm sofrendo ameaças. As imagens foram ao ar no Fantástico de último domingo (5).

“O que eles estão passando e sofrendo está muito perigoso. Não precisava chegar a este ponto. Acho que as pessoas perderam o limite, a paciência, a parcimônia. As pessoas estão voltando à Idade Média”, disse um amigo da família, que se identificou como Rubens Berbert.

Segundo ele, as ameaças se espalharam pelas redes sociais e chegaram até familiares dos dois. De acordo com o amigo do casal, todos estavam exaltados por conta do calor da situação.

(Foto: Reprodução/TV Globo)

“Eu conheço o caráter deles e tenho certeza que, naquele calor da emoção e como foram abordados, responderam com os ânimos alterados (…) Eles não estão conseguindo juntar uma palavra. Estão emocionalmente abaladíssimos.”

Abordagem

Berbert afirma que a abordagem ao casal no estabelecimento comercial, que foi multado por aglomeração e por venda de alimentos fora da validade, deveria ter sido feita pelos funcionários e pelo dono, e não pelos fiscais.

“O que ele afirma foi: estavam todos lá dentro do bar e foram obrigados a ir para a frente e a Vigilância Sanitária dizendo que aquela quantidade de pessoas que estava ali não era adequada. E ele, até por ser uma pessoa capaz de fazer uma pergunta ou de ter um diálogo com o funcionário público, questionou como ele estava medindo e aferindo aquela situação de quantos poderiam estar, de como poderiam estar”, disse o amigo da família.

Segundo ele, o trecho que viralizou foi uma fala isolada. “Uma questão do cidadão não, engenheiro. Ela estava se referindo ao comentário contrariando a forma como foi colocada com ele”, explicou.

Ele destaca que o caso não tem nenhuma associação com questões políticas, como muitos associaram, segundo Berbert, e critica a demissão da mulher que, segundo ele, estava em um momento de lazer que não tem relação com a empresa onde ela trabalhava.

A Prefeitura do Rio interditou cinco bares e aplicou 132 multas no primeiro fim de semana de reabertura de bares e restaurantes após as medidas de isolamento social por causa da pandemia.

As equipes do Disk Aglomeração, serviço da Prefeitura do Rio que recebe denúncias pelo 1746, já atenderam 10.689 ocorrências desde 31 de março. De 18 de março a 4 de julho, 25.953 pontos comerciais foram fechados pelos agentes, coordenados pela Secretaria Municipal de Ordem Pública do Rio (Seop).

Veja o vídeo: