Oficialmente longe das telinhas, Java Mayam explica o motivo de resolver administrar pousada da família: “tempo pra mim”

0

Java Mayam começou cedo nas telinhas e fez um grande sucesso na novela Corpo Dourado, com apenas 17 anos de idade. Ele interpretou diversos personagens que acabaram caindo na graça do público, como o Zeca e logo depois o João de “Malhação”, e também participou da novela “Caminho das Índias”.

Hoje em dia, após 6 anos completamente afastado das telinhas, ele resolveu explicar em entrevista o motivo de ter decidido escolher outra carreira e administrar outra profissão.

“Não decidi parar, só precisava mesmo de um tempo pra mim. Então, parei de procurar e a vida também quis que fosse assim”, disse ele, deixando bem claro que dar um tempo não significa que ele nunca mais pensa em voltar a trabalhar em novelas ou em peças de teatro.

(Foto: Reprodução-TvGlobo)

“Um artista nunca deixa de ser artista, isso está no sangue, na alma. O universo surpreende a gente a todo instante, então nunca se sabe o que está por vir. Amo trabalhar com arte, atuando ou montando cenários, operando som , luz ou em processo de criação.”, complementou o ator.

Ele ainda continuou a entrevista dizendo que é muito grato por todo trabalho e experiência que adquiriu com o tempo de ator: “Fiz meu primeiro trabalho em TV muito novo. Com 17 anos, entrei em ‘Corpo Dourado’, que foi uma novela muito boa e meu personagem foi ótimo. Fazer o Zeca foi uma experiência incrível. Depois fiz muitos outros trabalhos… E em ‘Malhação’ (2005/2007), quando interpretei o João, foi muito divertido também. Conheci pessoas maravilhosas.”, complementou.

Atualmente, o ator administra a Pousada do Mar Guaratiba, que é de sua família e não tem planos para voltar para as telinhas atualmente, pois esta muito feliz com a vida que tem levado: “A pousada já existe desde 1980. É um negócio de família que eu ajudo a tocar há uns dois anos.”, disse Java.

(Foto: Reprodução-TvGlobo)

Para ele, ficar longe de toda fama e de tantas pessoas azarando como antigamente não causa estranheza e nem um pouco de espanto como para algumas outras pessoas que não conseguiriam viver assim: “Nunca me vi famoso, sempre fui muito pé no chão. Sou uma pessoa simples, que ama o próximo. Admiro muito o ser humano e amo trocar experiências, conhecer pessoas. Ainda me reconhecem de alguns trabalhos, de Malhação, e até de Corpo Dourado, que foi em 1998. Vê se pode? (risos).”, finalizou.

Ele ainda disse sobre o assédio das fãs na época, e sempre soube lidar muito bem com isso, pois sabia que elas estavam procurando sua pessoa pois se identificavam com o seu personagem “Nunca me incomodou o assédio. Sempre soube que aquilo não era com o Java, mas sim com os personagens que o Java fazia. Hoje é muito de boa.”, disse.

Java diz ter muitos amigos do meio ainda, e que são amizades bem sólidas que ele pretende levar pro resto da vida: “Tenho muitos amigos dos tempos de teatro e TV também. Amigos amados, que sempre estarão presentes em minha vida.”

Antes de administrar a pousada de sua família, ele arriscou sendo jogador profissional de pôquer, mas foi só um hobbie passageiro que ele não quis levar para vida:  “Era só por diversão, nunca profissionalmente. Ganhei algum dinheiro, nada demais. Hoje não jogo, a energia do jogo não me preenche mais. É um esporte lindo, mas que não faz mais parte do que eu busco pra mim.”, disse o ator.