Publicidade

Milícia Digital: Léo Dias denúncia perfis de fofoca no instagram que são pagos para “cancelar” pessoas. Confira!

Publicidade
Publicidade

O colunista Léo Dias teve a coragem de expor vários perfis no instagrans que são pagos para falar bem de algumas pessoas ou para promover a famosa “cultura do cancelamento”, que significa cancelar um artista e fazer com que ele seja mal falado em todas as redes sociais.

Alguns perfis de fofocas fazem parte de um grupo chamado “Banca Digital”, que é nada mais que um grupo de vários instagrans e perfis famosos que são pagos para gerar engajamento de uma notícia ou falar sobre determinado influencer, o projeto, que de cara parece algo bem bacana e simples, já faturou mais de 15 milhões de reais em menos de 10 meses.

Tudo começou com Murilo Henare, criador do perfil Miga Sua Loca, junto com seus amigos ele conseguiu fazer com que várias notícias fossem engajadas, entre elas, campanhas publicitárias e outras coisas, algumas postagens chegam até a alcançar em média mais de 100 milhões de usuários no instagram.

Publicidade

Segundo Léo Dias, após alguma coisa ser colocada para engajamento, comentários do tipo “esse post está em todo lugar”, “só se fala o nome dessa pessoa”, “só vejo isso na minha TL”, são constantes e não são especificados para os usuários da plataforma que isso seria um conteúdo publicitário.

Confira os perfis que fazem parte do “Banca Digital” e segundo Léo Dias, são pagos para promover ações, favorecendo alguns artistas e também cancelando outros.

Veja quem faz parte da Banca Digital
* @ginaindelicada ( 5,4m )
* @nazareamarga ( 7,9 m )
* @tobemisso ( 9,1 m )
* @migasualoca (3m )
* @otariano ( 2,7m )
* @choquei ( 8m )
* @fofoquei ( 4.9m )
* @alfinetei ( 13,2 m )
* @rainhamatosoficial ( 1,3 m )
* @Gossip do dia ( 2m )
* @garotodoblog ( 1,2 m )
* @Subcelebrities ( 2,1 m )
* @cutucadas ( 1.7m )
* @central da fama ( 3 m )
* @Babados ( 1,6 m )
* @perrengue chique ( 1,8 m )
* @Sou eu na vida (11,2 m)
* @Xuxa Nave (1,4m)
* @Tricotei (4,7m)
* @Geshow (1,1 m)
* @Instacinefilos (1,1m)]

Publicidade

O dono do projeto desativou seu perfil nas redes sociais após a publicação de Léo Dias, e até agora não deu nenhuma explicação sobre o caso. “Eita! O homem sumiu das redes sociais. Por onde será que ele anda? Depois da denúncia do Leo Dias, muita gente sumiu e está calada. Murilo Henare é o responsável por cuidar de toda essa milícia digital. Vocês podem encontrar tudo sobre ele no Google e confirmarão o que eu estou dizendo aqui. Deu ruim para muita gente hein…”, disse uma seguidora.

“Isso é gravíssimo. Tem que ser investigado e punido. Essas páginas, por dinheiro, incitam o ódio e todo esse linchamento virtual, que vem de pessoas mais despreparadas ainda que acham que pode comentar, julgar e condenar em tudo, sem nem saber se é fato ou fake. Esse BBB esteve aí pra mostrar isso. Vimos pessoas sendo condenadas… Publicações tendenciosas que levam o rebanho a sair comentando sem responsabilidade”, comentou mais uma usuária da rede social.

Segundo o colunista Léo Dias, uma fonte chegou até ele e disse que para divulgar um artista, como foi o caso de uma artista global que os procuraram uma vez, eles cobram cerca de 20 mil reais para posts com engajamento, falando bem da pessoa, eles tem alto poder de engajamento para fazer qualquer notícia viralizar, mas também para derrubar qualquer perfil e promover a cultura do cancelamento. Quando o assunto é marcas, o valor das postagens chegam até a 200 mil reais no acordo publicitário.

Publicidade

Extorsão: Depois que o colunista Léo Dias publicou a matéria, várias denúncias chegaram até ele, uma foi de que um influenciador foi ameaçado para que não fosse cancelado por conta de um comentário maldoso feito por ele, ele chegou até a receber uma proposta de R$35 mil reais, para que as páginas parassem de falar sobre o assunto: “Meus advogados me aconselharam a não pagar e que isso caracterizava extorsão”, disse ele.

Ele relatou com detalhes como tudo aconteceu: “Após um comentário que fiz no meu Instagram, mesmo sem eu ser uma pessoa famosa, a notícia começou a viralizar. Fiquei em pânico e vi que muitas páginas começaram a usar esse material e a minha imagem sem autorização. Foi quando recebi uma mensagem de uma pessoa de uma “banca digital” oferecendo o tal serviço; e que por R$ 35 mil todas as páginas não iriam mais repercutir o assunto. Na época, meus advogados me aconselharam a não pagar e que isso caracterizava extorsão. Me senti refém, teria que pagar esse valor para não ter minha imagem destruída nas redes sociais. Tive que sair de todas as redes depois desse episódio”

Até agora nenhum perfil que faz parte da “Máfia Digital” se pronunciou e o fundador desativou seu perfil pessoal, a coluna do Léo Dias disse estar aberta esperando alguma resposta pela parte deles.

Publicidade

Fonte: Léo Dias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade